01/08/2009

Especial Os Chakras

Chakras são centros de energia localizados no corpo sutil que se estendem para o corpo físico. O termo chakra vem do sânscrito e significa "roda", devido à forma que estes apresentam. São semelhantes à flor de lótus, cujas hastes se enraízam na coluna vertebral. Sua finalidade é catalisar energias vitais que são conduzidas para todo o organismo através do sistema nervoso e dos meridianos. Cada chakra tem capacidade de absorção maior de uma cor especifica e seu movimento, quando equilibrado, dá-se no sentido horário.

Qualquer disfunção nos chakras afeta as glândulas e órgãos correspondentes. Este distúrbio ocorre pela alteração na rotação do chakra em desequilíbrio, que passa a girar no sentido anti-horário, além de não captar energia para aquela região. A corrente energética flui para fora do corpo, pelo próprio chakra. O que interfere no metabolismo dos órgãos relacionados. Para equilibrarmos determinado chakra usamos a cor correspondente fazendo com que glândulas e órgãos voltem ao estado original de saúde. Quando alguns chakras não estão abertos o bastante (estão sob-ativo) para compensar outros chakras que estão sobre-ativos. O ideal é estar todos equilibrados.

Os sete principais chakras governam nossas propriedades psicológicas. Os situados na parte mais inferior de corpo são o lado instintivo, animal, já os mais elevados são o lado divino.

Ilustração: Alex Grey

Quando funcionam de forma harmoniosa, os sete centros energéticos distribuídos ao longo do nosso corpo garantem saúde física, emocional, mental e espiritual. De acordo com a filosofia hindu, as nobres funções dos sete chacras são: captar, armazenar e espalhar a energia vital dos pés à cabeça.

Para nos manter equilibrados, os chacras captam e transformam o prana, a força vital, do céu e da terra e a repassam aos corpos físico, mental e espiritual por meio dos nadís. O problema é que eles nem sempre trabalham de modo eficiente e, nesses casos, podem contribuir para o surgimento de problemas emocionais e até de doenças. Alimentação inadequada, estresse, sedentarismo, pensamentos negativos e conflitos pessoais estão entre os fatores que podem desarmonizar os chacras.

É possível harmonizá-los por meio da prática da yoga, da meditação, de pranayamas (condução de prana), entre outras atividades. Lembrando que nenhuma delas funciona se não concentrarmos o pensamento nos pontos específicos e que o ideal é fazer os ásanas, as meditações e os pranayamas sob a orientação de um especialista.

A seguir os sete principais chacras e suas características.


CHAKRA RAIZ / MULADHARA CHAKRA

(em sânscrito, mula = raiz; adhara = base)


Situado na base da coluna, entre o ânus e os órgãos genitais, é abastecido pela energia da terra e comanda os instintos de sobrevivência, a autoconfiança e a nossa relação com o mundo prático. Quando está saudável, a pessoa torna-se dinâmica, ativa e segura de si. Nos recupera rapidamente de situações relacionadas ao estresse e afasta o envelhecimento precoce. Uma vez debilitado, é capaz de provocar insegurança e baixar a autoestima. Se muito estimulado, causa ganância e apego exagerado às coisas materiais. Está associado ao intestino grosso, sistema linfático, ossos, pernas e pés e ainda está relacionado às glândulas suprarrenais.

Como equilibrá-lo
"Para acalmar esse centro energético, aplique uma ou duas gotas de óleo essencial de cedro, manjerona ou lavanda, diluídas em óleo vegetal ou álcool, na base do crânio ou em cima do chacra. Se a intenção é estimulá- lo, use alecrim, manjericão, pinho ou patchuli”, indica a terapeuta Alícia Goiriz, diretora de educação e pesquisa da Associação Brasileira de Estudos e Pesquisa em Aromaterapia.

• Imagine uma luz vermelha, que é a cor associada ao chacra da raiz, vibrando bem em cima dele. Se quiser, coloque rubi, granada, ônix ou turmalina preta sobre a região. “Os cristais são ótimos condutores e amplificadores de energia”, justifica Miriam Carvalho, terapeuta especializada em pedras, de São Paulo.

• Sente-se com a coluna reta, visualize a base dos quadris e comece a entoar o bija mantra (mantra resumido, mono ou bissilábico) associado ao chacra da raiz, LAM.

Uma postura para trabalha-lo: Trikonasana

Reflexão: Estou em harmonia com as atividades do cotidiano, pois a minha existência está perfeitamente enraizada nele. Encontro segurança e estabilidade vivendo em plena conexão com as tarefas do meu dia-a-dia.

CHAKRA SACRAL / SWADHISTHANA CHAKRA
(em sânscrito, morada do Sol)

Localizado na região do baixo-ventre, quatro dedos abaixo do umbigo, tem a água como elemento e rege o inconsciente coletivo, a expressão da energia sexual, a satisfação dos prazeres, a criatividade e a procriação. No plano físico, comanda os líquidos corporais — como a menstruação, o sangue, o esperma e as lágrimas — e os sistemas digestivo e reprodutivo.
Em harmonia, é responsável pela saúde geral do organismo. Em desequilíbrio, pode levar à depressão, à dependência emocional e a problemas renais, intestinais, circulatórios e de reprodução. Hiperativo, estimula demais a sexualidade.

Como equilibrá-lo
Sempre que sentir necessidade, mentalize a cor laranja na área do chacra. As pedras podem auxiliar nesse processo — use âmbar ou olho-de-tigre.

• Camomila, tangerina ou lavanda são ideais para tranquilizar esse centro energético. Para ativá-lo, vá de hortelã, alecrim, jasmim ou ylang ylang. A aplicação dos óleos essenciais (diluídos em óleo vegetal) deve ser feita em cima do chacra ou no espaço situado entre as sobrancelhas.

• O bija mantra associado a esse ponto energético é o VAM. Antes de entoá-lo, sente-se com a coluna ereta e direcione sua atenção para o chacra. Outra opção é meditar por pelo menos cinco minutos se concentrando na fluidez. Lembre-se de sua transparência e frescor antes de dirigir a sua atenção para a área do chacra. Em seguida, imagine uma piscina cheia de água evaporando com o forte calor.

Uma postura para trabalha-lo: Paschimottanasana

Reflexão: Sinta que você é capaz de reproduzir em cada ação no mundo o ilimitado poder da força criadora.

CHAKRA DO PLEXO SOLAR / MANIPURA CHAKRA
(em sânscrito, cidade da jóia)

Considerado o centro de poder do corpo, pois governa a vitalidade, a energia e os impulsos, esse chacra fica logo abaixo do osso esterno. É por esta região que o prana (energia vital) penetra no corpo material. Também está relacionado à assimilação das emoções, ao egocentrismo, ao apego, aos desejos e às ambições. No nível físico, está ligado ao pâncreas e, quando enfraquecido, pode facilitar o surgimento de azia, má digestão, úlcera e diabetes. Já no campo psíquico, atenção, causa submissão e baixa autoestima. Quando muito estimulado, traz agitação. Seu elemento é o fogo.

Como equilibrá-lo
Ilumine a região localizada acima da cintura com a cor amarelo-ouro. A terapeuta de cristais Miriam Carvalho indica a utilização de citrino natural e topázio imperial para essa mentalização.

• Espalhe, na base do crânio ou sobre o chacra, uma ou duas gotinhas de óleo essencial de manjericão, verbena ou limão (diluídos em óleo vegetal) para acalmá-lo. Se a intenção for ativá-lo, opte por cravo, bergamota, patchuli ou pinho.

• Sente-se com a coluna ereta sobre uma base confortável, feche os olhos e entoe o bija mantra RAM, levando sua atenção até o chacra do plexo solar. Repita o som em silêncio sempre que precisar de ajuda para acreditar em si mesma ou finalizar uma tarefa. Medite imaginando o fogo, que está relacionado a esse chacra. Pense no poder transformador desse elemento e visualize a ponta de uma chama se desfazendo no ar.

Uma postura para trabalha-lo: Marichyasana

Reflexão: Equilibre sua necessidade de comandar os diferentes aspectos da vida praticando o serviço desinteressado.

CHAKRA CARDÍACO / ANAHATA CHAKRA
(em sânscrito, centro do som inviolado)

Localizado no meio do peito, tem o ar como elemento e é associado ao timo, ao coração e aos pulmões. Sua função é assegurar a imunidade e integrar os três primeiros chacras (relacionados à matéria) com os três últimos (ligados à espiritualidade). Esse chacra favorece a inteligência emocional e o desenvolvimento da capacidade de amar, perdoar e nutrir a compaixão. “Quando está em equilíbrio, o indivíduo não se deixa levar pelas emoções”, afirma Maísa Misiara. Bloqueado, pode causar tristeza, solidão e medos. No campo físico, pode provocar doenças respiratórias e cardíacas. Hiperativado, faz com que a pessoa busque atenção e afeto a qualquer custo.

Como equilibrá-lo
Visualize tons de verde ou rosa na altura do coração. Pedras recomendadas para ajudar na mentalização: esmeralda, quartzo verde ou rosa, turmalina melancia, que mescla as cores verde e rosa ou vermelha no centro, ou a pedra-da-lua, que é translúcida. Posicione-as em cima do chacra.

• De acordo com Alícia Goiriz, os óleos essenciais de sândalo, melissa ou manjerona são perfeitos para acalmar a energia no chacra do coração; já os de pinheiro, eucalipto, rosa e jasmim podem estimulá-lo.

• O bija mantra ligado ao chacra é o YAM. Sente-se com as pernas cruzadas e a coluna reta, em cima de uma base confortável, e entoe a sílaba, concentrando-se na região do chacra. Medite pensando nas qualidades do ar, como leveza e espaço, e visualize o chacra do coração. Inspire profundamente algumas vezes e depois relaxe.

Uma postura para trabalha-lo: Ustrasana

Reflexão: Sinta que o amor e a compaixão em você se convertem em fonte de inspiração para os que estão a sua volta.

CHAKRA LARÍNGEO / VISHUDHA CHAKRA
(em sânscrito, purificação)

Localizado na região da garganta, esse chacra, cujo elemento é o éter, está associado à capacidade de comunicação dos pensamentos e sentimentos, ao desenvolvimento da generosidade e à evocação espiritual. “Ele dá origem ao dom da palavra, à sabedoria”, acrescenta Maísa Misiara. Se desequilibrado, do ponto de vista físico, pode causar rouquidão e otite, e no nível psíquico, sensação de falência no poder de se expressar, introversão, apatia, tristeza e incapacidade de reconhecer as próprias necessidades. Muito estimulado, deixa o indivíduo extremamente crítico.

Como equilibrá-lo
Sempre que tiver vontade ou sentir necessidade, mentalize uma faixa azul-celeste envolvendo seu pescoço. Utilize quartzo azul, água marinha, turquesa próximo a este chacra.

• Lavanda, camomila, cedro e manjerona são os aromas que conseguem suavizar o chacra laríngeo. Para ativá-lo, selecione hortelã, vetiver, gerânio ou patchuli. Aplique as gotas (diluídas em óleo vegetal) nas têmporas ou sobre a região da tireoide.

• Entoe o bija mantra HAM durante alguns minutos, levando o seu pensamento até o chacra laríngeo. Prepare- se para isso sentando num lugar confortável, com a coluna ereta e as pernas cruzadas. Concentre-se no chacra da garganta e pense na vastidão do éter, um elemento invisível e nada palpável. Por alguns minutos, visualize uma luz intensa invadindo todo o seu corpo. Depois abra os olhos vagarosamente.

Uma postura para trabalha-lo: Sarvangasana

Rflexão: Minha voz comunica sabedoria no mundo.

CHAKRA TERCEIRO OLHO / AJNA CHAKRA
(em sânscrito, comando)

Situado na base do nariz, no espaço entre as sobrancelhas, é a morada da intuição, do discernimento, da sabedoria e das atividades intelectuais. Não há elemento relacionado a esse chacra, também chamado de “o terceiro olho”, pois ele fica além do mundo temporal ou físico. No corpo físico, governa o cérebro, a visão, as funções da hipófise e todo o equilíbrio fisiológico. Está intimamente ligado à glândula Pineal. Quando se encontra em harmonia, traz clareza e criatividade. Sem energia, estimula a confusão mental, o ceticismo e o medo do futuro; também pode desencadear enxaqueca e sinusite. Superativado, faz brotarem a arrogância e as obsessões.

Como equilibrá-lo
Imagine uma luz azul-índigo vibrando na região do chacra. Para reforçar a mentalização, utilize pedras como ametista, lápis-lazúli, safira azul.

• Para acalmar o chacra frontal, escolha cedro ou lavanda. Para ativá- lo, gerânio, rosa, patchuli, alecrim ou cipreste são recomendados. Aplique as gotinhas (diluídas em óleo vegetal)  nas têmporas ou na área do chacra.

• Medite entoando o mantra OM (pronuncia-se OUM) por alguns minutos. Sente-se de maneira confortável, com as pernas cruzadas e a postura ereta, e visualize a região do chacra.

Para este chacra não há posturas. A meditação é capaz de desenvolve-lo.

Reflexão: O indivíduo se realiza plenamente quando percebe que ele é a própria divindade que o habita.

CHAKRA COROA / SAHASRARA CHAKRA
(em sânscrito, mil vezes maior)

É além do topo da cabeça que se encontra o último chacra. No campo físico, está sutilmente relacionado ao funcionamento do cérebro. No entanto, há quem afirme que ele não se liga a nenhum órgão, pois já transcendeu os limites do corpo. Aqui reside a realização espiritual e a essência do ser. Não possui um elemento relacionado, somente o plano de energia cósmica. Desenvolvido, proporciona o despertar da consciência plena e a comunhão com o divino. Em desequilíbrio, nos afasta do sentido espiritual da vida. Demasiadamente ativado, revela prepotência, arrogância e medo da morte.

Como equilibrá-lo
Para acessá-lo, imagine uma coroa nas cores violeta, branca ou dourada. Tenha perto cristal de quartzo transparente, diamante ou ametista.

• Aromas capazes de estimular a energia do último chacra: alecrim, bergamota, hortelã, gerânio, jasmim e rosa. Para acalmá-lo, lavanda, olíbano ou mirra.

• O mantra que desperta o chacra da coroa é o OM.

Para este chacra não há posturas. A meditação é capaz de desenvolve-lo.

Reflexão: Todos os elementos purificados revelam a nossa verdadeira essência.

2 comentários:

Mari disse...

Adorei a matéria! Namastê! Mari

Mari disse...

Adorei a matéria! Namastê! Marianna

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Licença para uso do conteúdo

Licença Creative Commons
A obra Blog So Ham de Tatiane Lira foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.
Com base na obra disponível em www.sohamsoham.blogspot.com.

Copyright ilustração do So Ham

Saying a Prayer, by Lupen Grainne.
® Todos os direitos reservados.